X Minhas Especialidades

Catarata

O que é catarata?

Catarata é a opacificação, ou seja, a perda de transparência da nossa lente interna do olho que se chama cristalino. Nós temos duas lentes naturais em nossos olhos: uma externa, de maior poder, chamada córnea e uma interna de menor poder, chamada cristalino. O nome cristalino se deve ao fato de essa lente ser transparente. Ela precisa ser assim para que enxerguemos através dela com clareza. Quando nosso cristalino perde a sua transparência nossa visão se torna embaçada, turva.

O que causa catarata?

O processo de envelhecimento é a causa mais comum de catarata, que chamamos de catarata senil.

Ao longo da vida, por diversos fatores, principalmente relacionados com o processo de oxidação das células e sua consequente produção de radicais livres, nosso corpo envelhece e isso acontece também com nosso cristalino.

Praticamente todos nós, se vivermos bastante, um dia teremos catarata.

Outros fatores podem acelerar o aparecimento de catarata, como a exposição dos olhos à radiaçao ultravioleta (exemplo: sol, solda), tabagismo, alimentação rica em gordura e pobre em vitaminas e minerais, uso de antiinflamatórios da classe dos corticóides, dentre outros.

A genética é um dos fatores envolvidos também no processo de aparecimento da catarata. Por isso dizemos que a catarata é multifatorial, ou seja, não existe apenas um único fator associado a ela.

Existem também outras causas para a catarata, como inflamações intra-oculares, chamadas uveítes e também trauma ocular.

Descobri que tenho catarata. E agora?

Se você tem catarata ou conhece alguém que tenha, não se preocupe. A catarata tem solução!

Como não existe ainda nenhum colírio ou outro tipo de tratamento conservador para tratar a catarata, a única forma disponível é a cirurgia.

Como é a cirurgia de catarata?

A cirurgia, apesar de delicada e complexa, em geral é rápida, durando cerca de 5 a 10 minutos, em média. Esse tenpo pode variar de acordo com a experiência do cirurgião.

É uma cirurgia intra-ocular, ou seja, precisamos fazer uma abertura microscópica na parte da frente do olho (na córnea) e acessar a parte interna do olho, logo atrás da nossa íris, onde fica o cristalino. Ali, é feita uma outra abertura, de formato circular, na cápsula, estrutura que dá suporte ao nosso cristalino, para que então seja possível removê-lo.

Na cirurgia de catarata moderna, o cristalino é primeiro emulsificado, ou seja, fragmentado em pequenos pedaços, e então esses pequenos pedaços são aspirados, ou seja, sugados, por um aparelho chamado facoemulsificador.

Em seguida, é implantada uma lente intra-ocular artificial, no mesmo local de onde foi retirado o cristalino, com o objetivo de substituí-lo. Essa lente artificial é implantada de forma definitiva, com o objetivo de ali ficar para o resto da vida. Por isso é muito importante a escolha de uma lente intra-ocular de boa qualidade!

Como é feita a anestesia para a cirurgia?

Ela pode ser feita com anestesia local, ou seja, com um bloqueio anestésico próximo ao olho que será operado e o paciente pode ou não optar por uma sedação, que geralmente é bem leve, para trazer mais conforto e tranquilidade ao paciente. Em geral, esse tipo de anestesia é o preferido pelo médico (a) cirurgião (a) e também pelos pacientes, pois é o que proporciona mais conforto para ambas as partes.

A cirurgia de catarata pode ainda ser feita com anestesia tópica, ou seja, apenas pingando-se colírio anestésico. Nessa última forma, é necessário que o paciente tenha uma boa colaboração, já que os movimentos dos olhos não são inibidos, como acontece com o bloqueio anestésico.

A anestesia tópica, em geral, é indicada para pacientes, por exemplo, que fazem uso de anticoagulantes orais, que não podem ser suspensos mesmo que por um período curto, ou para pacientes que enxergam apenas com um olho, dentre outras indicações.

É sempre colocada uma lente artificial na cirurgia de catarata?

Na cirurgia de catarata é essencial que uma lente artificial seja implantada no lugar da nossa lente natural que foi retirada. Se isso não for feito, provavelmente o paciente precisará usar óculos com grau altíssimo, cerca de 20 graus, os famosos óculos “fundo de garrafa”. Portanto, não terá uma boa qualidade de visão!

Esse implante da nova lente em geral é feito no mesmo momento cirúrgico da retirada da catarata. Quando o paciente apresenta uma catarata complicada, às vezes é necessário que esse implante seja feito em um segundo momento, ou seja, com uma nova cirurgia.

Como escolher a lente que será implantada?

A escolha do tipo da lente a ser implantada vai depender da indicação médica de quais lentes podem ser implantadas no olho daquele paciente e, claro, da escolha do próprio paciente dentre essas opções que foram dadas pelo(a) médico(a). Nem todo olho pode receber todos os tipos de lente. Há várias indicações e contra-indicações, que vão depender das características do paciente e dos seus olhos.

Por exemplo: se o paciente tem alguma doença como maculopatia, retinopatia, glaucoma, distrofia de córnea, ceratocone, dentre outras alterações oculares, em geral, se evita indicar o implante de lentes multifocais.

Se o paciente tem um olho saudável, é um paciente ativo e quer o máximo de independência do uso dos óculos para suas atividades cotidianas como dirigir, ler no computador ou celular, prática de atividades físicas ou outras, as lentes multifocais são as mais adequadas e as que trazem os resultados mais satisfatórios.

Para os pacientes que tem um grau de astigmatimo considerável (acima de 0,75D), recomenda-se o implante das lentes chamadas tóricas, disponíveis como monofocais ou multifocais.

As melhores e mais modernas lentes do mercado hoje são chamadas de lentes premium. São lentes importadas das melhores fabricantes mundiais, que se encontram nos Estados Unidos, Europa e Japão. Essas lentes podem ser monofocais, bifocais, multifocais ou de foco extendido, e o material do qual elas são feitas é um material de melhor qualidade, maior durabilidade e maior garantia de que não sofrerão alterações indesejáveis ao longo dos anos e continuarão proporcionando uma visão de qualidade.

As lentes monofocais dão visão apenas em um foco, por exemplo, para longe. Ou seja, na maioria das vezes, o paciente ainda precisá fazer uso de óculos após a cirurgia, por exemplo, para leitura de perto.

As lentes bifocais e multifocais fornecem mais de um foco, podendo ser programadas para dar visão de longe, intermediária e/ou perto, o que permite muitas vezes dar ao paciente uma grande indepência dos óculos.

Cada paciente é único! Portanto, a análise e indicação de qual a melhor lente intraocular a ser implantada deve ser individualizada para cada caso. O investimento que o paciente faz em uma cirurgia de catarata realizada por um profissional bem capacitado e também a escolha por um implante de uma lente intra-ocular de melhor qualidade é o cenário que traz os maiores índices de satisfação, pois devolve a melhor visão possível ao paciente e consequentemente, traz qualidade de vida e bem estar!

whatsapp Agendar Consulta